azulão, azulao, Azulão bicudo, azulaõ cantando, azulão do nordeste, azulão do sul, Azulão verdadeiro, canto de azulão, canto do azulão, fêmea de azulão, gurandi azul, Gurundi azul, Reina Mor, tiatã

Azulão (Cyanocompsa brissonii)

Nome Científico

Cyanocompsa brissonii

Peso: 30 gramas
Tamanho: 15,5 a 17 cm
Expectativa de vida: 20 anos

O azulão (Cyanocompsa brissonii), também conhecido como Azulão-verdadeiro, Azulão-bicudo, Gurundi-azul e Reina-Mor, é um pássaro de coloração exuberante, é de um azul intenso com as extremidades das asas mais escuras e as patas de coloração semelhante ao bico, que é de formato triangular e rude. É dono de um lindo canto e, faz parte do seleto grupo de pássaros canoros.
Canto: Uma das aves de mais belo canto; apresenta inúmeros dialetos, cada região apresenta diferenças, sendo, ou mais longo, ou mais melodioso que o outro. Seu canto é dividido em dos tipos:
Canto normal – compõe-se de uma frase com cerca de 10 notas repetindo um som em variados tons; este é o canto usual e corriqueiro.
Canto em surdina, mata-virgem ou alvorada – neste caso, o pássaro chega a cantar cerca de 2 minutos sem parar, repetindo um módulo de mais ou menos 6 notas. É, sem dúvida, um dos sons mais lindo que se pode ouvir de um pássaro cantando. O Azulão consegue ir alternando o tom e o volume das notas à medida que vai cantando, dando a impressão, a quem escuta, que está longe e depois mais próximo.

Há quatro sub-espécies:
Cyanocompsa brissonii – mede 15,5 a 17 cm; o macho com plumagem azul escuro e a fêmea com plumagem marrom terra; habita de Goiás até a Argentina.
Cyanocompsa cyanoides – mede 16, 6 cm a 17,5 cm; o macho com plumagem azul claro com a cabeça esbranquiçada, a fêmea com plumagem marrom claro; habita o Nordeste brasileiro e a América Central.
Cyanocompsa glaucocaerulea – mede de 13 a 14 cm; habita de Santa Catarina até a Argentina; é chamado de Azulinho, em virtude de seu tamanho.
Cyanocompsa parellina – só existe na América Central. Tamanho e ou envergadura: 15,5 a 17 cm de comprimento. Cores tipos ou Variedades: Azul intenso e existem mutações como o Azulão Branco.
Não é um pássaro muito social e normalmente é avistado sozinho junto às matas ciliares e campinas. Seu canto afável divide-se em dois tipos principais: Canto Normal e Surdina, sendo este último um dos cantos mais belos que um pássaro pode realizar.

Alimentação

As rações de manutenção, Alcon Eco Club Curió e Alcon Club Curió, foram desenvolvidas para atender completamente as exigências nutricionais das espécies as quais se propõem, devendo ser oferecida como base da dieta. Outros alimentos devem ser utilizados exclusivamente com caráter de enriquecimento ambiental (distração), 2 vezes por semana em pequenas porções, ou seja, perfazendo no máximo ¼ da alimentação diária.

O requerimento nutricional das aves se modifica durante o ano. Em períodos como: muda de penas, estresse, convalescença e reprodução, as exigências protéicas e lipídicas tendem a aumentar, desta forma, torna-se essencial à complementação da dieta de manutenção, linha Alcon ECO Club e Alcon Club. Nestes períodos sugerimos o uso diário das Farinhadas, Alcon Club Top Life, associado à dieta de manutenção, perfazendo ¼ da alimentação. Estas mesmas associações podem ainda, ser usadas no período de manutenção de 2 vezes por semana, como distração.

Reprodução

Durante a primavera e verão.

Gaiolas e Ninhos: A gaiola deve ter as medidas ideais para o pássaro. Na natureza, constrói seu ninho, tipo taça, a pouca altura do solo; em cativeiro utiliza-se ninhos fabricados com 7 cm de diâmetro e 5 cm de profundidade, feito com arame, fibra de sisal, fibra de coco e raiz de capim.
Acasalamento: A fêmea está pronta quando começa a voar muito, a arrancar papel do fundo da gaiola, carregar capim no bico e levá-lo para o ninho. No manuseio do macho, o melhor é colocá-lo para galar e imediatamente afastá-lo para outra gaiola, assim pode-se utilizar um macho para várias fêmeas. Elas podem ficar bem próximas umas das outras, contando que não se enxerguem. Senão, matam os filhotes ou interrompem o processo do choco. O acasalamento pode ser feito em Viveiros ou em Gaiolões.
Em viveiro, o manejo é mais trabalhoso e o controle do ambiente é quase impossível; os filhotes costumam cair do ninho e morrem. Os gaiolões devem ser de puro arame, com medida de 60 cm comprimento x 40 cm largura x 35 cm altura, com quatro portas na frente, comedouros pelo lado de fora para dentro da gaiola, e com um passador lateral. A do macho pode ser a metade disso. No fundo, na bandeja da gaiola,  a grade deverá ser lavada e desinfetada uma vez por semana. Os ninhos, de bucha, com diâmetro de 7 cm de diâmetro com 5 cm de profundidade no centro. Não esqueça de pendurar bastante raiz de capim e pedaços de corda de sisal para estimular a fêmea.

Postura e Nascimento: 3 a 4 posturas por temporada de 2 a 3 ovos por postura, incubação de 13 dias, podendo separar os filhotes da mãe, dos 35 aos 40 dias de idade.

Fonte: alconpet.com.br

Deixe seu comentário...

%d blogueiros gostam disto: