passaros

Tudo Sobre o Arapaçu-grande

O arapaçu-grande possui o nome científico de Dendrocolaptes platyrostris e é uma ave pertencente família Dendrocolaptidae. Em alguns locais ele é conhecido por outros nomes, tais como arapaçu-de-bico-reto, arapaçu-de-bico-preto, corre-pau, cotia-de-pau, tarasca e também subideira. Em inglês ele é conhecido pelo nome de Planalto Woodcreeper.

Distribuição do arapaçu-grande

Espécie nativa do Brasil, Argentina e do Paraguai. No Brasil esse pássaro também pode ser encontrado do Piauí ao Rio Grande do Norte, assim como no Mato Grosso e em Goiás, porém tem maior incidência no sul do país. Ele costuma ser avistado no cerrado, na mata e também em buritizais. Depois do período reprodutivo é possível encontra-lo em bandos mistos.

Existem duas subespécies desse pássaro, sendo que a primeira delas (Dendrocolaptes platyrostris platyrostris) ocorre no Brasil, na Argentina e no Paraguai. A segundo espécie (Dendrocolaptes platyrostris intermedius) ocorre apenas no Brasil e no Paraguai.

Características físicas do arapaçu-grande

A cabeça e o peito desse pássaro possuem uma coloração com aspecto estriado, sendo que a sua barriga possui algumas listras transversais. Ele mede cerca de 25 centímetros e existe uma variação de peso entre o macho e a fêmea, sendo que ela pesa entre 58 a 69 gramas e ele pesa entre 55 e 66 gramas. Sua cauda é num tom ruivo mais claro e a garganta é esbranquiçada. O bico desse pássaro é marrom e quase que totalmente reto. O restante da sua plumagem é na cor marrom. Uma característica curiosa desse pássaro é que ele, quando se sente ameaçado, esconde-se atrás dos troncos das árvores e fica com as asas meio abertas.

Alimentação do arapaçu-grande

Essa ave costuma ter sua alimentação baseada em insetos. Busca fendas e buracos das árvores em busca de alimento, podendo caçar moscas, lagartixas, aranhas, entre outros, com a ajuda do seu bico. Não muito frequente, ela pode também seguir correições de formigas.

Reprodução do arapaçu-grande

Faz seu ninho em ocos de árvores, sendo tanto ocos feitos por pica-paus, quanto buracos de árvores que estejam em estado de decomposição. O ninho costuma ser forrado com folhas e, ao que se pôde observar, a fêmea costuma colocar, em média, 3 ovos por postura. Não existem registros quanto ao tempo de incubação e nem se existe revezamento por parte do macho e da fêmea no cuidado com os filhotes.

Você gostou?

Não vá embora sem deixar um comentário!

Fonte: casadospassaros.net/arapacu-grande

Deixe seu comentário...